Dando continuidade a série de encontros temáticos, chamados de Café Cultural, o Núcleo de Pesquisa e Iniciação Científica (Nupic) da Faculdade Frassinetti do Recife (Fafire), em parceria com a Cáritas Brasileira Regional NE 2 promovem, o debate “Economia Solidária: Vivências Humanizadoras”. O encontro acontece nesta quarta-feira (22), às 19h, no 5º andar, auditório da pós-graduação da faculdade.

Para este encontro estão confirmadas as presenças dos professores Luiz Moura, representante da pastoral da Fafire, Ângelo Zanré, coordenador das ações de Economia Popular Solidária no Regional da Cáritas NE2, e Karla Lorena, integrante da Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ITCP/Fafire).

De acordo com Ângelo Zanré, o objetivo do encontro é sensibilizar a comunidade acadêmica sobre a temática da economia solidária, que é um movimento social em crescimento através de suas práticas produtivas e geradoras de trabalho e renda em todo país. Durante o encontro também serão comemorados os 10 anos de atuação do Nupic e os 4 anos ITCP/Fafire.

A proposta de implantar a Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares na Fafire surgiu por iniciativa do núcleo de extensão da própria instituição. “O objetivo é favorecer a incubação de empreendimentos solidários da Região Metropolitana do Recife, sobretudo, ligados área do artesanato” diz Zanré.

Pelo menos uma vez por mês, e de modo informal, público e debatedores sentarão em mesas, servidos de café para as discussões, podendo intervir a qualquer tempo, em uma proposta de diálogos horizontais sobre variadas temáticas contemporâneas.

Economia Popular Solidária (EPS)

É uma estratégia de desenvolvimento sustentável e solidário fundamentada na organização coletiva de trabalhadores e trabalhadoras com interesse de melhorar a qualidade de vida por meio do trabalho associado, cooperativado ou mesmo em grupos informais. É ainda uma maneira de combater as desigualdades do atual sistema e de construção de outro modo de produzir, consumir e de pensar as relações entre as pessoas.

Humanizar-se para Humanizar

A humanização está presente em simples gestos do nosso cotidiano, nas conversas, no planejamento de um trabalho, no modo como exergamos o outro e o mundo ao nosso redor. Diante da riqueza do tema e suas diversas possibilidades de realização, a Fafire propõe à comunidade acadêmica que “vista a camisa” da Humanização. Através do Selo Institucional, a Fafire reitera a proposta de acolhimento e aproximação entre alunos, funcionários, professores e todos os que fazem a faculdade.

por Kilma Ferreira – Assessoria de Comunicação

No related posts.