Dando início às preparações para o Grito dos Excluídos, que terá início nesta quinta (05) com uma caminhada partindo da Escola Estadual Arruda Marinho, às 19h, a Cáritas Diocesana de Pesqueira tem entrevistado uma série de cidadãos/ãs envolvidos com as causas sociais. E abrindo esta coletânea de entrevistas, segue o depoimento do Professor da UFPB e Diácono Incardinado da Diocese de Pesqueira Alder Júlio, concedido a Adriana Leal, comunicadora popular da Cáritas Diocesana de Pesqueira:

“Primeiro é importante recordar de forma rápida a história do Grito dos Excluídos. Trata-se de uma iniciativa da CNBB, originada com as Semanas Sociais, em que a partir dos meados de 90 se trata de fazer com que haja condições para que os oprimidos, as classes desfavorecidas tenham de fato um campo para expressar suas demandas, seus sonhos. Então se inicia nos meados dos anos 90 o Grito dos Excluídos, que já alcança quase a 20ª edição neste ano. Então se trata de uma iniciativa inicialmente da CNBB , mas depois muito encampada pelos movimentos sociais, por muitas associações e organizações de base da sociedade. Com esta origem a gente está sinalizando a importância de que não se perca esse hábito saudável que a Igreja Católica no Brasil, também com a participação de outras igrejas vem mantendo, que é um orgulho também saber que em Pesqueira se passa essa iniciativa com a organização de grupo, inclusive com o protagonismo da Cáritas de organizar este Grito dos Excluídos, algo muito importante para a sociedade pesqueirenses, como para a sociedade pernambucana e brasileira, de fazer expressar o grito de jovens, de negros, de índios, de camponeses, de operários, enfim de todos segmentos que se encontram numa situação muito vexatória.”

O Grito dos Excluídos – O Grito dos Excluídos é uma manifestação popular carregada de simbolismo, é um espaço de animação e profecia, sempre aberto e plural de pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluídos. É realizado em um conjunto de manifestações realizadas no Dia da Pátria, 7 de setembro, tentando chamar à atenção da sociedade para as condições de crescente exclusão social na sociedade brasileira.

O Grito é parte do processo da 5ª Semana Social Brasileira e no ano passado trouxe o lema: Queremos um Estado a serviço da Nação, que garanta direitos a toda população! O Próximo encontro nacional dos articuladores e articuladoras do Grito acontecerá nos dias 26 a 28 de abril, em São Paulo.

por Adriana Leal, comunicadora popular da Cáritas Diocesana de Pesqueira

No related posts.