O município de Pesqueira, localizado a 215 quilômetros de Recife, sediou nos dias 3 e 4 de setembro, a 2ª Conferência Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário, que aconteceu no Hotel Cruzeiro.

A Articulação no Semiárido Pernambucano (ASA/PE) marcou presença no evento através de diversas organizações que estiveram representadas, dentre essas o Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta), Diocese de Pesqueira, Centro Sabiá e Diocese de Caruaru. No primeiro dia da conferência Neilda Pereira, coordenadora executiva da Articulação no Semiárido pelo estado de Pernambuco e coordenadora geral da Cáritas Diocesana de Pesqueira, apresentou o painel Políticas Públicas de Inclusão Social e Produtiva no Contexto do Semiárido Pernambucano. “É impossível fazer este debate sem pensar na integração das políticas públicas. Olhar hoje para o semiárido é olhar para as histórias de resistência. Nós precisamos olhar as especificidades da nossa região. Ou a gente muda o olhar de discutir as políticas públicas, ou na próxima seca nós vamos ainda discutir sobre carro pipa”, disse Neilda Pereira, que ainda pontuou a importância de colocar em prática o controle social e falou sobre os marcos de avanço no estado de Pernambuco com a Política Estadual de Convivência com o Semiárido e Política Estadual de Combate a Desertificação.

O painel teve ainda como participante Fátima Quadrado, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável (Condraf) e foi mediado pro Germano Barros, presidente do Serta, que dentre outros pontos defenderam a completude do semiárido como forma de pensar em novas políticas públicas. “Nós afirmamos e reafirmamos a abordagem territorial como instigante ao desenvolvimento”, disse Fátima Quadrado. “O semiárido é um lugar de cidadania, do direito, da cultura, do esporte”,completou Germano de Barros.

O ministro interino do Desenvolvimento Agrário (MDA), Laudemir Müller e a diretora de Políticas para as Mulheres, Karla Hora participaram do evento, bem como Aldo Santos , secretário de Agricultura e Reforma Agrária de Pernambuco e Doriel Barros presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Pernambuco (FETAPE).

As conferências estaduais são estratégicas, defendeu o ministro interino. “As conferências vão nos dar as bases para a construção do plano nacional. Com elas vamos decidir as principais propostas para o desenvolvimento rural sustentável e solidário que queremos para os próximos anos”, disse. Laudemir ainda apontou que os debates em todos os estados brasileiros vão envolver cerca de 40 mil pessoas. “Este é o espaço de discussão do qual a sociedade civil participa junto com o Governo na definição das grandes prioridades e principais diretrizes para as políticas públicas direcionadas à agricultura familiar e reforma agrária”.

Na avaliação do delegado federal do MDA em Pernambuco, Demetrius Fiorante, um aspecto importante do encontro é a possibilidade de participação direta dos agricultores familiares para opinar e decidir sobre as políticas públicas direcionadas ao setor. “Essa democracia participativa é muito importante porque dá o respaldo a nossas políticas e ao mesmo tempo faz com que a sociedade participe, fiscalize, ajude a implementar essas propostas”, destacou.

As Conferências Estaduais precedem a 2ª Conferência Nacional de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário, que será em outubro, em Brasília. Conferências Territoriais e Municipais antecederam a Estadual com o propósito de elaborar propostas acerca de diversos temas. Em Pernambuco já foram feitas oito conferências territoriais, 29 municipais, uma conferência temática da juventude e outra das mulheres rurais. No último dia da conferência (04) serão eleitos os delegados da 2ª Conferência Nacional.

Os temas debatidos nos encontros tratam de Desenvolvimento Socioeconômico e ambiental do Brasil Rural e fortalecimento da agricultura familiar; reforma agrária e democratização do acesso a terra e aos recursos naturais; Abordagem territorial como estratégia de desenvolvimento rural e promoção da qualidade de vida, entre outros.

 por Adriana Leal, comunicadora popular da Cáritas Diocesana de Pesqueira.

 

No related posts.