A Cáritas Diocesana de Pesqueira, em parceira com a Associação de Agricultores do Distrito de Salobro e a Escola de Campo Manoel Ferreira da Silva participaram da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia que ocorreu nos dias 24 e 25 de outubro.

Em um estande foi possível apresentar aos visitantes as tecnologias utilizadas para captação de água que são desenvolvidas pela parceria da Diocese de Pesqueira, através da Cáritas Diocesana, sendo executada pelo Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC) e o Programa Uma Terra e Duas Águas (P1 + 2), em parceria com a Articulação no Semiárido (ASA), bem como a produção de bolos e doces feitos pelas agricultoras familiares da comunidade.

A tesoureira da associação de agricultores e coordenadora das Escolas de Campo, Luedja de Cássia , explica a importância do trabalho em parceria com a Cáritas Diocesana. “Enquanto escolas de campo estamos trabalhando estas alternativas de captação e água, como P1MC e P1+2. Isto está sendo trabalhado pedagogicamente nas escolas, diariamente . Inclusive os alunos prepararam uma maquete para divulgar como funciona, esta tecnologia e a importância para captação da água chuva”, declara.

Sobre a participação da associação, ela complementa : “A participação no evento só aconteceu por conta da parceira com a Cáritas. O nosso objetivo é divulgar os produtos feitos pela comunidade como bolos, doce de leite, doce em barra, biscoitos e desta forma gerar renda para as mulheres, fortalecendo a economia da família”.

A secretária de educação, Márcia Paes, declara que a participação da Cáritas num evento como este só fortalece o trabalho que é feito. “ É belíssimo o trabalho junto às comunidades e agricultores da região e adjacências. Ensinar que é possível viver bem e com qualidade de vida no semiárido é magnífico”.

O prefeito Evandro Chacon, também elogiou o trabalho feito pela organização. “ O despertar para ciência e tecnologia é maravilhoso. E a Cáritas faz um grande trabalho nesta questão, dando oportunidade, ensinando e mostrado que é possível viver numa região que chove pouco. E ensinar a aproveitar a água , plantar de forma consciente e promover geração de renda é excelente ”, afirma.

A professora da escola de campo Manoel Ferreira da Silva, Fernanda da Silva, acompanhou algumas alunas que preparam uma maquete para explicar o funcionamento do sistema de cisternas que só trouxe benefícios à comunidade.“Há um tempo atrás só havia uma cisterna para abastecer toda a comunidade. E hoje com a implantação do programa P1MC, quase toda as famílias já possuem as cisternas de placas, dentro da sua casa, e não precisa mais ir atrás de carro pipa , para beber água, cozinhar e plantar”, enfatiza.

O evento contou com a participação de doze escolas, entre municipais e particulares. Na solenidade de abertura os alunos participaram ativamente com apresentações culturais como dança, mímica, aulas de aeróbica. A decoração dos estandes foi outro ponto fortes da atividade. O tema reciclagem, formas de desenvolvimento sustentável e vida saudável foi o tema escolhido pela maioria das escolas.

 por Fabiana Francelino – Comunicadora da Diocese de Pesqueira

 

 

No related posts.