Toda a rede Cáritas segue com os seus trabalhos de mobilização em resposta emergencial às necessidades dos afetados pelo desastre causado nas Filipinas pelo supertufão Haiyan. O papel dos voluntários e equipes locais da Cáritas Filipinas é vital para os trabalhos de auxílio, como é o caso da Cáritas Manila, que nos últimos dias tem distribuído às vítimas 75 mil kits de emergência que incluem alimentos, medicamentos, utensílios de higiene e limpeza.

Identificação dos atingidos mais vulneráveis

Quinze voluntários da Cáritas Filipinas estão cedidos às dioceses afetadas pelo tufão e lá estão identificando famílias e comunidades em condições mais precárias e as direcionam para serem incluídas no Plano de Resposta a Emergência.

Este plano, que Cáritas Filipinas lançou na última quinta-feira, conta com a colaboração de várias Cáritas no mundo, como a Cáritas Espanha que enviou 700 mil euros, e a Cáritas Brasileira/CNBB que lançou campanha emergencial de arrecadação de recursos que serão enviados para a Cáritas Filipinas. O plano tem execução prevista para seis meses e pretende ajudar 275 mil pessoas em sete províncias mais danificadas. O orçamento para a execução desse projeto é de 5 milhões de euros.

Ações da rede internacional

As equipes da rede internacional de Cáritas também seguem trabalhando nas Filipinas. Em Palo e Tolosa foram distribuídos mais de 7 mil lonas para abrigos temporários e outros 8 mil kits de utensílios de higiene pessoal em Palo. Além disso, na cidade de Bislig foi instalado um centro de fornecimento de água potável.

 Nove mil casas de Santa Fé e Madridejos, na ilha de Bantayan, estão recebendo itens de primeira necessidade (alimentos e produtos de higiene) graças a uma operação conjunta da rede Cáritas e quatro organizações locais. Um programa similar será desenvolvido em Samar e Leyte.

 As equipe da Cáritas em Cebu já receberam o segundo avião com suprimentos de emergência com equipamentos médicos, placas solares e 1300 lonas para abrigos temporários.

A reabilitação levará anos

As regiões atingidas pelo supertufão Haiyan levarão anos para serem reabilitadas, como dizem o Governo Filipino, Cáritas e outras organizações humanitárias.

De acordo com os últimos dados do Departamento Filipino de Bem estar Social e Desenvolvimento, há um total de 10 milhões de pessoas afetadas, 10.724 aldeias, 575 municípios, 44 províncias e nove regiões. Mais 4,2 milhões de pessoas foram obrigadas a deixar seu lugar de origem por consequência da catástrofe. Estima-se que mais de 1 milhão e 100 mil casas tenham sido danificadas, sendo que meio milhão foi totalmente destruída.

Mensagem dos bispos filipinos

 Enquanto a rede Cáritas continua trabalhando para que a ajuda chegue em todas as regiões afetadas pelo supertufão Haiyan, a Conferência Episcopal Filipina emitiu uma declaração pastoral em agradecimento aos seus compatriotas e toda a comunidade internacional pela solidariedade ao povo filipino.

Dizem os bispos: “é inspirador ver as pessoas que moram perto do desastre levarem água, comida e medicamentos para os sobreviventes. Observar como as famílias abrem seus lares para acolher outras pessoas que perderam suas casas e não têm abrigo. Essas pessoas são manifestações de solidariedade, de uma vida de caridade.”

 Fonte: Cáritas América Latina e Caribe

No related posts.