Dom Helder Câmara era referência na luta pela paz e justiça social. Seu trabalho é conhecido em todo o mundo, e seus exemplos e palavras foram perpetuados até hoje. Ele foi arcebispo de Olinda e Recife, e é fundador da Cáritas Brasileira. Inspirados pelo seu testemunho, os participantes do seminário “Colombianito Cone Sul” realizaram uma cerimônia de encerramento na tarde de ontem (29). A celebração aconteceu na Igreja da Sé, em Olinda (PE).

Conduzida pelo presidente da área Pastoral Social Caritas Chile, monsenhor Pedro Ossandón, a celebração foi realizada na Igreja da Sé por um motivo especial. O local abriga uma capela especialmente projetada para guarda os restos mortais de dom Helder.

No início da celebração, monsenhor Pedro, fez um momento de silêncio e convidou a todos a trazer à memória a lembrança dos mais empobrecidos. Em seguida, monsenhor Ossandón relembrou a trajetória e os ensinamentos deixados por dom Helder. “Era um profeta dos pobres para os pobres. Pensava numa Igreja na América Latina para os pobres”, refletiu Ossandón.

Na ocasião, o secretário da Cáritas Brasileira Regional Nordeste 2, Angelo Zanré, que teve a oportunidade de conhecer pessoalmente dom Helder, também relembrou e destacou a simplicidade e garra do “dom da Paz” na luta pela causa dos mais pobres e necessitados.

O segundo momento da celebração foi conduzido pela assessora nacional do Programa Infância, Adolescência e Juventude (PIAJ), Alessandra Miranda, e pelo assessor do PIAJ no Regional Minas Gerais, Leon Patrick. Como parte das mobilizações para a campanha mundial “Uma família humana, pão e justiça para todas as pessoas”, bem como um gesto simbólico de partilha, os participantes do Colombianito se reuniram em volta da mesa, no altar da igreja, para fazer orações e refletir sobre o verdadeiro sentido da campanha.

De acordo com Miranda, a mesa é um símbolo muito representativo da campanha mundial. “Na mesa vivemos e sonhamos as utopias. Queremos que este símbolo vá a todos os Colombianitos e desejamos que esta comunhão se estenda a cada um/a que participou desse seminário”, diz.

Fazendo menção aos símbolos da eucaristia e destacando a importância da campanha mundial, monsenhor Ossandón, encerrou a celebração de envio deixando uma mensagem a todos os participantes do Colombianito: “Que Cristo seja um pão partido e que todos sejam alimentados por este pão”, disse.

 

Por Kilma Ferreira | Assessoria de Comunicação Cáritas Regional NE2.

No related posts.