A Cáritas Diocesana e a Diocese de Palmeira dos Índios promoveram, o lançamento da Campanha Mundial “Uma família humana, pão e justiça para todas as pessoas”. O evento aconteceu no dia 12 de julho, e reuniu cerca de 90 pessoas no auditório do Centro de Treinamento e Pastoral Diocesano PIO XII, no município de Palmeira dos Índios, em Alagoas.

A Campanha é uma iniciativa da Caritas Internacionallis e quer mobilizar e sensibilizar a sociedade sobre as realidades de fome, pobreza e desigualdades sociais Apoiada pelo Papa Francisco, a campanha, que também discute a alimentação como um direito humano, é promovida no país pela Rede Cáritas Brasileira e conta com o apoio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

A abertura do lançamento foi marcada por um momento de mística, conduzido pelo jovem José Helio, que, na ocasião, apontava para o povo de Deus como protagonista de uma história marcada pela fome e a superação através da partilha. Após a mística a presidente da Cáritas Diocesana de Palmeira dos Índios, Maria do Carmo, acolheu todos os participantes almejando um debate animador para a missão.

Com o objetivo de contribuir para uma reflexão sobre a fome e a pobreza, bem como aprofundar a discussão em torno da Campanha, foi realizada uma mesa redonda que foi moderada pelo agente da Cáritas Diocesana de Penedo, José Matias Irmão.

Na ocasião, participaram como debatedores o bispo de Palmeira dos Índios, Dom Dulcênio Matos, que falou sobre a importância da campanha; o cientista social e comunicador popular da Cáritas Diocesana de Palmeira dos Índios e da Articulação do Semiárido Brasileiro em Alagoas (ASA-AL), José Moisés Oliveira, que apresentou a Campanha para o público; e Mardônio Graça, que apresentou o trabalho da ASA-AL no enfrentamento da fome e da pobreza.

Para enriquecer o debate e trazer mais dados sobre a problemática da fome, e a questão da segurança alimentar e nutricional, o coordenador Victor Hugo Balladares, responsável pelas ações de segurança alimentar e nutricional na Cáritas Regional Nordeste 2, também participou da mesa e expôs um pouco da sua experiência nessa área, onde já atuou no trabalho com uma das populações mais vulneráveis à fome e à pobreza, que são as famílias de trabalhadores rurais sem terra, presentes nos acampamentos e pré-assentamento da reforma agrária.

O evento de lançamento contou com a presença de um público bastante diversificado. Entre eles, representantes das três Cáritas da província de Alagoas, além das representações da sociedade civil, do poder público, militantes, religiosos, pastorais, movimentos sociais e da igreja, agricultores/as, indígenas, entre outros atores.

De acordo com Maria Mafra, articuladora da Cáritas Regional Nordeste 2 e uma das organizadoras do evento, “é notável que a fome ainda é um tema caro à existência humana, desde o produzir ao consumir, da fartura à carência. A partilha do pão se faz necessária e urgente”.

Ainda segundo Maria Mafra, os temas apresentados pelos convidados da mesa conduziram os participantes do evento, a um caloroso debate. Ela reforça a ideia que “a alimentação é um direito, não é favor, muito menos esmola. E as mudanças irão acontecendo a partir desta compreensão, pensar solidariamente e politicamente. Promover ações coletivas que culminem em feitos concretos, por dignidade da pessoa humana e justiça social”.

Por José Moisés de Oliveira, comunicador da Cáritas Diocesana de Palmeira dos Índios e Maria Mafra, articuladora da Cáritas Brasileira NE2 em Alagoas.

 

No related posts.