Agricultores e agricultoras da região de atuação do Fórum de Lideranças do Agreste (FOLIA), com a assessoria da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e do Centro de Ação Cultural (CENTRAC), organizações da Articulação do Semiárido Paraibano (Asa Paraíba), estão realizando, em todo o território do Agreste Paraibano, um processo de preparação para a VI Festa das Sementes da Paixão, que será realizada em 2015 na Paraíba. A preparação conta com o mapeamento dos guardiões e guardiãs de sementes, de bancos de sementes e com encontros e outras atividades de formação.

Na último dia 06 de agosto, agricultores/as dos assentamentos Dom Marcelo e João Pedro Teixeira, município de Mogeiro, se reuniram em conjunto com a equipe do CENTRAC para dar início ao mapeamento dos guardiões e guardiãs das sementes paixão de cada região. Segundo Madalena Medeiros, do Programa Desenvolvimento Sustentável do CENTRAC, a ideia é levantar quem são os/as agricultores/as guardiões, quais as variedades que eles/as vem conservando e multiplicando, além de ajudar na organização e animação dos bancos de sementes familiares e comunitários existentes e no apoio à criação de novos bancos. Durante a mobilização, realizada no Assentamento João Pedro Teixeira, o agricultor Pedro Martins mostrou entusiasmo ao aceitar a proposta de resgatar as sementes que não existem mais no assentamento e preservar as existentes: “É muito desafiadora a proposta de criação de banco de sementes para que quando as sementes do governo cheguem até nós, à gente possa dizer que não precisa”.

No dia 08 de agosto foi realizada, na Cúria Diocesana de Campina Grande, um momento de formação que contou com a participação de representantes das comissões municipais e presidentes de associações dos 11 municípios que o território que Folia atua: Mogeiro, Itabaiana, Aroeiras, Ingá, Natuba, Salgado de São Félix, Umbuzeiro, Gado Bravo, Fagundes, Itatuba e Riachão de Bacamarte.

Durante a formação, houve a exibição do vídeo “Agricultura familiar: Guardiã das Sementes da Paixão” do Polo da Borborema. Rejane Alves de Lima, assessora pedagógica da Asa Paraíba ressaltou os bancos de sementes comunitários e familiares como uma das principais estratégias para proteger e conservar as sementes: “O banco é uma oportunidade da comunidade exercer a coletividade e as práticas comunitárias, é uma forma de conservar as sementes” afirma.

Ao final de cada processo de mobilização é lido o termo de compromisso de guardião e guardiã das sementes e entregues a cada representante presente no momento e a partir disto cada representante leva a proposta de começar a fazer o mapeamento em sua região, levantando quem são os guardiões e guardiãs e quais são as espécies que existem e quais as que desapareceram e precisam ser resgatadas.

Este ano de 2014 é um momento de preparação com mobilização, formações e intercâmbios para preparação da festa das sementes da paixão que acontecerá em 2015 que tem o objetivo de proporcionar troca de experiências entre os agricultores que fazem parte da rede de sementes e da Asa Paraíba.

Fonte: Centrac Campina Grande-PB

No related posts.