Segue até a próxima quarta-feira (12) a Semana da Solidariedade na Cáritas Diocesana de Palmeira dos Índios, no estado de Alagoas. Dando continuidade às comemorações, a organização Fraternidade (Federação Humanitária Internacional) em parceria com a Cáritas Diocesana vem promovendo uma série de atividades em comunidades da região. Entre essas atividades, um mutirão solidário levará atendimento médico e odontológico à população.

As visitas estão previstas para as comunidades rurais, indígenas e grupos de catadores de materiais recicláveis em Lages, Baixa Fria, Lagoa Nova, Algodãzinho e Ariado. Além de uma comunidade quilombola Jacú–Mocó, em Poço das Trincheiras, e comunidade indígena Geripankó, em Pariconha.

Essas comunidades que estão sendo atendidas pela missão humanitária solidária estão todas situadas na Diocese de Palmeira dos Índios, e foram escolhidas entre aquelas mais necessitadas de assistência.

A parceria entre a Cáritas Diocesana e a organização Fraternidade surgiu a partir de um encontro entre as duas entidades. Na oportunidade, agentes Cáritas falaram sobre o sentido e o objetivo da Semana da Solidariedade. Daí surge o interesse em unir esforços para construção de um planejamento coletivo para concretização das ações nesse período. Vale ressaltar que durante toda esta semana as Cáritas Diocesanas que compõem a Rede Cáritas em todo o país, realizarão atividades com foco na Campanha Mundial.

Nas comunidades escolhidas o trabalho desenvolvido pelo mutirão da solidariedade iniciou na última quarta-feira (5) e segue até o dia (12). A população contará com  uma série de serviços, como atendimento médico e odontológico; doações de alimentos, água, sementes crioulas, roupas, calçados, equipamentos de trabalho, construção de banheiros, construção de fogões solar, recuperação de moradias, treinamento para uso de máquinas de costura, equipamentos de cabeleireiro, e instrumentos musicais.

Saiba mais: a organização Fraternidade presta trabalho humanitário filantrópico a grupos, famílias e pessoas em situação de extrema pobreza, prestando serviços humanitários conforme a necessidade dessas pessoas. A Fraternidade existe há 23 anos em mais de 20 países. O grupo formado por religiosas, seguidoras de Madre Tereza de Calcutá e missionários leigos vivem e propagam a paz e o amor em suas múltiplas formas, atuando de maneira gratuita e altruísta. Atuam em diversas localidades no Brasil e no exterior, por meio de ações em Redes de Serviços, Cura, Oração e Instrução, as quais integram a “Rede de Fraternidade de Luz”, procurando aliviar o sofrimento da humanidade, segundo as possibilidades encontradas.

 Por Maria Mafra – articuladora regional em Alagoas, Cáritas Brasileira Regional NE2

No related posts.