Nós somos 70% água. A Terra tem 70% de sua superfície coberta por água. Nossos olhos não veem bem essa realidade porque a água está misturada com tudo que torna possível a vida. Ou seja, preservar e cuidar desse bem precioso é assumir um compromisso com a vida. Comprometida com esta temática, a Organização das Nações Unidas (ONU) instituiu o dia 22 de março como o Dia Mundial da Água. A data criada em 1992 tem como proposta promover reflexões e debates sobre esse tema.

 Ao longo de sua trajetória, não apenas no Dia Mundial da Água, a Rede Cáritas Brasileira tem promovido, constantemente, em suas ações diversas, reflexões sobre o direito à água.

 No Regional NE2, a Cáritas tem procurado escutar, apoiar e construir parcerias com movimentos sociais, igrejas, pastorais, organizações governamentais e não governamentais, entre tantas outras que trabalham com grupos populares e em situação de vulnerabilidade social na região do Semiárido brasileiro. A ideia é aprofundar, cada vez mais, o debate sobre as alternativas de desenvolvimento sustentável na perspectiva da convivência com o Semiárido. A partir das experiências realizadas, de estudos desenvolvidos, tecnologias testadas, a Cáritas tem somado esforços para a consolidação de um direito humano básico, o acesso à água de boa qualidade, seja para o consumo humano ou para a produção.

 Ao se propor trabalhar o manejo da água, na perspectiva do consumo humano e da produção, a Cáritas dialoga com esse direito e contribui efetivamente para a construção de uma segurança alimentar e nutricional com soberania.

 No estado da Paraíba, desde janeiro deste ano, a Cáritas Regional NE2 tem atuado em parceria com o governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Humano (SEDH) e o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), para garantir o acesso à água de qualidade através do Programa Água para Todos.

 Nos municípios paraibanos de Natuba, Santa Cecília e Umbuzeiro, 421 famílias já foram capacitadas através de 13 cursos de Gestão dos Recursos Hídricos (GRH). Essas famílias estão sendo preparadas para o recebimento das cisternas de placas, ou seja, cada família será beneficiada com a construção de uma cisterna, que tem capacidade para armazenar 16 mil litros de água para consumo humano.

 Durante as capacitações, as famílias recebem orientações sobre diversos temas relacionados diretamente com a água. Entre eles: distribuição da água na terra; ciclo da água; apresentação do Semiárido; debate sobre precipitação pluviométrica; gerenciamento da água da cisterna; poluição e contaminação da água, saúde e preservação das doenças, a importância de tratar a água, políticas públicas e cidadania.

De acordo com a agente Cáritas do Regional NE2 e coordenadora do projeto nos três municípios, Roseilda Couto, as capacitações são momentos oportunos para promoção do debate, sobretudo com foco na temática da água de boa qualidade. “Mas, também é muito importante a troca de experiências com essas famílias, o saber da realidade e o que elas estão vivenciando no Semiárido paraibano. Aliamos o nosso conhecimento ao saber das famílias, para atuarmos na perspectiva de poder armazenar água de boa qualidade e, assim melhorar a qualidade de vida desse povo”, explicou Roseilda.

Dia da Água em Alagoas

 Para celebrar o Dia Mundial da Água, os agentes da Cáritas Diocesana de Palmeira dos Índios, em Alagoas, se reúnem numa Missa em Ação de Graças pelas cisternas de placas construídas na região. A missa será celebrada por dom Dulcênio Mattos, às 15h30 deste domingo (22). A celebração eucarística acontecerá na comunidade de Lagoa Grande dos Basílios, onde foram construídas 100 cisternas. Na ocasião, as famílias também agradecem a construção de 1 mil cisternas na comunidade de Igaci. Segundo Maria Mafra, articuladora de projetos em Alagoas pelo Regional NE2, após a missa o bispo abençoará as cisternas. Também haverá um momento para reflexão sobre a importância dos cuidados e preservação da água, principalmente em regiões como o Semiárido alagoano, que enfrenta longos períodos de estiagem. A atividade está sendo organizada por agentes e voluntários da Cáritas de Palmeira dos Índios.

 As cisternas foram construídas através de um convênio entre a Cáritas Diocesana de Palmeira dos Índios e o Programa 1 Milhão de Cisternas, da ASA Brasil, com financiamento do MDS.

 Por Kilma Ferreira :: Assessora de Comunicação da Cáritas Regional NE2

 

No related posts.