A iniciativa prevê a construção de 200 unidades de biodigestores, em parceria com prefeituras e sindicatos rurais de municípios pernambucanos.

A representante da Cáritas Suíça no Brasil, Claudia Veith, e o secretário da Cáritas Brasileira Regional NE2, Angelo Zanré estiveram na cidade de Caruaru (PE) nos dias 14 e 15 de abril para visitar a experiência do Projeto Biodigestores – Proteção do Clima e Combate à Pobreza no Nordeste. O momento também foi oportuno para dialogar com a diretoria da Cáritas Diocesana de Caruaru, responsável pela execução do projeto, e com os parceiros locais.

De acordo com Claudia Veith, a visita em Caruaru teve dois objetivos. Em primeiro lugar, permitiu conhecer todo ciclo de funcionamento dos biodigestores. Em segundo lugar, houve a apresentação formal do novo projeto financiado pela Cáritas Suíça, que prevê a construção de 200 unidades de biodigestores, em parceria com prefeituras e sindicatos rurais da região.

Iniciado este ano, o novo projeto já se encontra em execução desde o mês de janeiro, e será desenvolvido no período de três anos, nos municípios pernambucanos de Lagoa dos Gatos, Panelas, Brejo da Madre de Deus, Cumaru e Caruaru.

O projeto visa construir unidades familiares agroecológicas sustentáveis, através da implantação da tecnologia social do biodigestor, que produz biogás, fertilizantes e húmus. O objetivo da ação é proporcionar no período de três anos, atividades que garantam a essas famílias agricultoras, o conhecimento sobre o processo de uma produção alternativa de energia renovável, que tem como proposta fortalecer a preservação do meio ambiente.

“Pretendemos reduzir a insegurança alimentar dos agricultores e agricultoras, e ampliar a compreensão dessas famílias para conservação do meio ambiente e combate às mudanças climáticas. Iniciamos um projeto piloto em setembro de 2012, com a Cáritas Diocesana de Caruaru, e que trouxe resultados muito positivos. Ou seja, as famílias não precisam mais comprar gás de cozinha, nem desmatar para ter lenha e carvão para cozinhar. Isso traz benefícios econômicos que refletem na melhoria da situação dessas famílias, bem como na conservação dos recursos naturais”, explicou Claudia Veith.

O Projeto Biodigestores tem como proposta atuar junto às famílias que foram beneficiadas pelos programas da Articulação no Semiárido – ASA: Um Milhão de Cisternas (P1MC) e Uma Terra e Duas Águas (P1+2), que visa captar e armazenar água da chuva para beber e produzir alimentos.

Segundo Angelo Zanré, a tecnologia do biodigestor deve ser integrada a outras tecnologias sociais que estão sendo utilizadas para convivência com o Semiárido. “A beleza da experiência revela que deve ser um sistema integrado, um ciclo que se complementa. Essa é uma visita de intercâmbio, de troca de experiência, de aprendizado”, destacou Zanré.

Durante a visita o grupo teve a oportunidade de conhecer de perto a experiência do agricultor Severino Romeu Cardoso, da comunidade Japecanga, em Caruaru (PE). A família dele foi uma das primeiras a receber o projeto de Biodigestores e o acompanhamento dos técnicos de campo da Cáritas Diocesana de Caruaru. “Contribuir com a preservação do meio ambiente. Esse é um dos maiores benefícios da experiência com uso de biodigestores em comunidades rurais, porque não precisamos mais desmatar, cortar árvores e a vegetação para fazer madeira e usar no fogão à lenha”, disse o agricultor.

No período de seis meses haverá um processo de acompanhamento técnico a cada família beneficiada. “Seria interessante que outras Cáritas também conhecessem esta experiência. Inicialmente, havia questionamento quanto ao desempenho, mas hoje encontramos resultados muito positivos, e as famílias estão bem motivadas”, ressaltou a representante da Caritas Suíça.

A visita foi acompanhada pelas agentes Cáritas do NE2, Flavianeide Pereira, referência em ações de Convivência com o Semiárido no Regional NE2, Rosana Pontes e Febe de Oliveira, ambas ligadas aos projetos de economia popular solidário da Cáritas.

Parceria:

Para o secretário da Cáritas NE2, Angelo Zanré, um aspecto em destaque nesta visita é a aproximação e diálogo entre o Secretariado Regional e a entidade membro – Cáritas Diocesana de Caruaru. Outro aspecto relevante é a oportunidade de se fazer uma parceria construtiva com o poder municipal.

De acordo com Zanré, a visita propiciou um diálogo com as prefeituras, sindicatos, escritório regional e Cáritas diocesana. Entre os encaminhamentos, no município de Panelas – que será beneficiado com a construção de biodigestores -, uma parceria entre a Cáritas NE2 e a prefeitura permitirá a reativação de um banco de sementes local, que está desativado.

Clique no link abaixo e conheça a experiência do biodigestor do agricultor Severino Romeu Cardoso, da comunidade Japecanga, em Caruaru (PE)

http://youtu.be/TTYA6nLJpVY

 

Por Kilma Ferreira | Assessoria de Comunicação da Cáritas Brasileira NE2

No related posts.