“A Cáritas revela a força do amor cristão e o desejo da Igreja de sair ao encontro de Jesus em cada pessoa, especialmente os pobres e sofredores”, disse o papa Francisco, na noite desta terça-feira, dia 12, durante a missa de abertura da 20ª Assembleia da Cáritas Internacional. Cerca de 300 delegados da Cáritas de todo o mundo estiveram presentes na celebração.

Na oportunidade, Francisco deu indicações de como deve ser um integrante da Cáritas. “Quem vive a missão da Cáritas não é um simples agente, mas uma testemunha de Cristo. Uma pessoa que busca Cristo e se deixa buscar por Cristo, uma pessoa que ama com o Espírito de Cristo, o espírito da gratuidade, da entrega”, exemplificou.

Para o papa, o amor do “Espírito de Cristo” deve ser levado em todos os planejamentos e estratégias da entidade, institucionalizada em 164 organizações nacionais de ajuda e desenvolvimento. Francisco afirmou que o trabalho deve encontrar mais difusão nas diversas paróquias e comunidades, “para renovar o que aconteceu nos primeiros anos da Igreja”. Enraizado na acolhida, “simples e obediente de Deus e do próximo”, o serviço não pode limitar-se a uma “simples organização humanitária”, alertou o papa.

“Esta acolhida se cumpre em vocês pessoalmente, para que depois vá ao mundo, e ali sirvais em nome de Cristo, a quem encontraram e encontram em cada irmão e irmã a que se achegam”, exortou.

Francisco convidou os presentes a pedirem a Deus o entendimento da “verdadeira dimensão da Cáritas”, além das graças da presença nas periferias das Igrejas particulares e de crer “que o Escritório Central da Confederação é somente ajuda, serviço e experiência de comunhão, mas não é a cabeça de todas”, rogou.

Lembrando “a mesa da Eucaristia preparada por Deus”, Francisco citou a campanha mundial da Cáritas, “Uma família humana, alimento para todos”, cujo objetivo é colaborar com a erradicação da fome e da pobreza no mundo. “Muita gente espera hoje comer o suficiente. O planeta tem alimento para todos, mas parece que falta a vontade de compartilhar com todos, de preparar a mesa para todos e pedir que haja uma mesa para todos, fazer tudo o que podemos para que todos tenham o que comer”, contou o papa.

Para ele, ainda falta recordar aos “poderosos da terra” que um dia Deus os chamará no julgamento. Neste momento, segundo o pontífice, se manifestará verdadeiramente a intenção por parte dos poderosos “de dar comida a Ele em cada pessoa”. Também se terá conhecimento do esforço para preservar o meio ambiente enquanto se produzia o alimento.

Francisco lembrou que, com a violência, “os irmãos são privados do alimento corporal e da alma” e pediu aos integrantes da Cáritas para que não esqueçam “as pessoas e as intoleráveis injustiças” que sofrem.

 Assembleia

A 20ª Assembleia Geral da Cáritas Internacional tem como tema “Uma família humana, cuidar da criação”. O encontro seguirá até domingo, 17, e escolherá a nova presidência da entidade, hoje sob a responsabilidade do cardeal Oscar Rodríguez Maradiaga.

Em entrevista à Rádio Vaticano, o cardeal Maradiaga falou sobre os trabalhos desenvolvidos pela Cáritas Internacional. “A Cáritas leva água e vida a lugares remotos e áridos do mundo. A Cáritas é um manancial inesgotável de amor canalizado a comunidades de todo o planeta. A Cáritas é um jardim de verdade, bondade e beleza ‐ qualidades que nutrem o mundo e que, nas palavras do papa Francisco, são nossas valiosas aliadas na defesa da dignidade humana, na construção da coexistência pacífica entre os povos, para salvaguardar e cuidar da criação”, recordou.

As atividades iniciaram nesta quarta-feira, 13, com uma sessão plenária sobre “Uma Igreja dos pobres”. Outro tema abordado foi o das desigualdades, com o economista Jeffrey Sachs, diretor do Earth Institute da Universidade de Columbia e professor da Beverley Haddad, da Universidade de KwaZulu-Nata.

Cáritas Brasileira

A comitiva brasileira no encontro é composta pelo bispo emérito de Colatina (ES), dom Décio Sossai Zandonade; a vice-presidente da Cáritas Brasileira, Anadete Gonçalves; a diretora nacional da entidade, Maria Cristina dos Anjos, e Leon Souza. No Escritório Central da Confederação em Roma, trabalha o brasileiro José Magalhães de Sousa.

Atualmente, a Cáritas Brasileira, em parceria com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), promove a Campanha SOS Nepal. A iniciativa pretende arrecadar recursos para auxiliar as pessoas atingidas pelo terremoto que devastou o país no dia 25 de abril. Novos abalos, que ocorreram no dia 12, causaram 66 mortes e deixaram 1.928 feridos. No total, de acordo com informações do governo local, são 8.151 mortos e 17.866 feridos.

Saiba como colaborar aqui.

Fonte: CNBB

Foto: Site: Rádio Vaticano.

 

 

No related posts.