A Cáritas Brasileira Regional Nordeste 2 em parceria com a Paróquia de Santa Terezinha do Menino Jesus, no município de Terezinha (PE) realizou, nesta quinta-feira (20), no Centro Pastoral, uma formação com lideranças comunitárias da cidade para a implantação da Cáritas Paroquial.

O encontro foi iniciado com a exibição do vídeo “Nunca deixe de voar”, que aborda a importância do trabalho em comunidade a partir da contribuição de cada um e de cada uma, assim como também a caridade que deve envolver os trabalhos coletivos para chegar aos resultados concretos.

Em seguida, a agente Cáritas, Flavianeide Pereira, provocou os paroquianos a olharem para a realidade em que estão inseridos e refletirem se nos locais onde vivem existem pessoas empobrecidas, que não contam com a solidariedade que as ajudem a enfrentar esse tipo de situação. “É preciso dar oportunidade para que as pessoas percebam que não estão sozinhas, mas, sim, que tem alguém olhando, se preocupando, contribuindo com elas”, provocou. A partir desse diagnóstico inicial foram apresentados os primeiros passos para a organização da Cáritas Paroquial, assim como a missão da Cáritas Brasileira e a motivação dos/as agentes Cáritas, que é a defesa da vida. A apresentação foi baseada na cartilha “Como Organizar a Ação Cáritas nas Paróquias”, produzida pelo Secretariado Nacional.

De acordo com o padre Marcos André, que também é coordenador das Pastorais Sociais da Diocese de Garanhuns, a dimensão da caridade vai além da experiência pessoal e, sendo assim, alcança a dimensão social, através da transformação da realidade que é provocada pelo anúncio do Evangelho de Jesus Cristo. “A caridade cristã precisa ser ampliada, articulada e organizada. Então, para nós, enquanto Paróquia e também como Diocese, a implantação da Cáritas será uma experiência muito valiosa. Na zona rural do nosso município já podemos ver exemplos que deram certo, como é o caso das cisternas, porém precisamos ampliar isso cada vez mais. Discutir a evangelização das famílias, da juventude, entre outras, é importante, mas estamos aqui também para discutir maneiras de evangelizar os mais pobres”, afirmou o pároco.

Para contribuir na formação, a Cáritas Brasileira Regional Nordeste 2 realizará um intercâmbio para a troca de experiências com as Cáritas Paroquiais de Buíque e Tupanatinga, ambas assistidas pela Cáritas Diocesana de Pesqueira, a fim de obterem mais subsídios para a realização de um diagnóstico da realidade em que vivem. As informações servirão para nortear o plano de ação da Cáritas Paroquial de Terezinha, através da identificação de fragilidades e fortalezas.

 Além da ação, padre Marcos pediu as orações de cada pessoa para esse novo passo que a Paróquia está trilhando. “Quem mais sofre não é aquele que tem alguma coisa, é aquele que não tem nada. Precisamos nos unir. Se a gente segura um fósforo, em pouco tempo ele quebra, mas se juntar uma caixa inteira a dificuldade é bem maior. Então, eu acredito que esse momento em que nos encontramos como Igreja é muito importante e peço que vocês além de rezar por esse projeto, vão também pensando com carinho, sonhando rumo a essa transformação social que tanto queremos”, pontuou.

por Lidiane Santos | Cáritas Regional Nordeste 2

No related posts.