Cáritas nacionais dos oito países de língua oficial portuguesa, reunidas em Brasília/DF, entre os dias 9 e 11 de novembro no Seminário Fome e Desigualdades nos Países Lusófonos, discutiram, na tarde de ontem, sobre os Novos Objetivos do Milênio e as Diretrizes Voluntárias – Metas atingidas, Desafios e Perspectivas. O responsável pelo tema foi Alan Bojanic, da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Além de apresentar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, o representante da FAO comentou a saída do Brasil do Mapa da Pobreza. Para ele, este fato significa que “o problema deixou de ser endêmico”. Alan afirma que a perspectiva das Nações Unidas para acabar a fome é positiva e diz que “é possível erradicá-la até 2030”.

Entretanto, Alan Bojanic defende que para atingir esses objetivos são necessárias metas como acabar com todas as formas de desnutrição e dobrar a produtividade agrícola e a renda de pequenos produtores de alimentos.

O representante da FAO diz, ainda, que é fundamental a mudança da matriz energética do mundo inteiro. Na sua opinião, a redução da emissão de gases que agravam o efeito estufa no planeta é de responsabilidade de todos os países.

Realizado pela Cáritas Brasileira, o Seminário Fome e Desigualdades nos Países Lusófonos acontece no Centro Cultural de Brasília (CCB).

Saiba mais sobre os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio aqui.

Por Doroty Amaral:: Assessora de Comunicação da Cáritas Brasileira

No related posts.