A Cáritas Paroquial Santana de Buíque, do município de Buíque (PE), promoveu, na última sexta-feira (20), atividades na região para a reflexão sobre o Dia da Consciência Negra. O município de Buíque fica a 280 km da capital pernambucana e integra o território da Diocese de Pesqueira.

A primeira ação ocorreu no salão paroquial da Igreja Matriz de São Félix de Cantalice, no centro da cidade. Lá os moradores da região tiveram a oportunidade de estudar os direitos humanos, enfatizando o tema do dia, e homenagear os que lutam pela igualdade e combatem a discriminação.

Ainda, na perspectiva de valorizar a cultura afro-brasileira, houve a apresentação, na Escola Estadual Vigário João Inácio, de capoeira e samba de coco do grupo Mundo Novo, formado por 24 famílias descendentes de escravos. Essa segunda atividade foi articulada pela professora Lucicleide Barbosa, também integrante da diretoria da Cáritas Paroquial.

O Dia Nacional da Consciência Negra foi instituído em 2003, por meio de uma lei, fazendo referência ao dia da morte, em 1965, de Zumbi dos Palmares, homem que se tornou símbolo da resistência à escravidão no Brasil. Segundo o articulador da Cáritas Diocesana de Pesqueira, Risaldo Gomes, esses momentos são importantes para que sejam relembrados fatos da história brasileira e para que também as situações de exploração e preconceito de ontem e de hoje não passem despercebidas. “Séculos se passaram desde o extermínio de Zumbi e a declaração de que o Brasil não é um país racista continua uma falácia”, destaca Gomes.

 Com informações da Cáritas Diocesana de Pesqueira

No related posts.