A abertura oficial da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2016, na diocese de Palmeira dos Índios (AL) foi realizada na última sexta feira (19), no Centro Paroquial do município de Delmiro Gouveia (AL). O Pastor Diocesano Dom Dulcênio Fontes de Matos compôs a mesa com integrantes da diocese e representantes da Associação dos Catadores e Catadoras de Delmiro Gouveia (Ascadel).

Na sua fala, o bispo enfatizou o momento quaresmal e a importância da Campanha da Fraternidade em especial esta de 2016, que é a 4ª de caráter ecumênico, coordenada pelo CONIC- Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil. Além disso, essa é a primeira campanha realizada com alcance internacional, graças à parceria com a MISEREOR, entidade episcopal da Igreja Católica da Alemanha que coopera com o desenvolvimento na Ásia, África e América Latina.

A Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano, coordenada na diocese pelo Padre Antônio Melo, traz como tema para reflexão e debate na sociedade um problema crucial das nossas cidades: o saneamento básico. Inspirada na Carta Encíclica do Papa Francisco “LAUDATO SI” que trata sobre o cuidado da casa comum, ou seja, o cuidado com o planeta. Esta campanha foi buscar no Profeta Amós, 5,24 o lema: “Quero ver o direito Brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca. “E o tema: “Casa Comum, Nossa Responsabilidade”.

Dom Dulcênio ainda lembrou, na sua fala, da necessidade de cuidarmos da nossa vida espiritual, em especial neste tempo quaresmal, para que possamos compreender o que Deus quer de cada um de nós.

Padre Bruno Igor, da Paróquia de Monteirópolis, expondo sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica, destacou o significado do ecumenismo explicando que reside no fato de ser de responsabilidade de todos. O cristão deve, através de mudanças de atitudes e de pequenos gestos, cuidar da casa que é de todos, o planeta que sofre as consequências de um modelo de desenvolvimento baseado no consumismo e no lucro, provocando a destruição da natureza, tornando a vida cada vez mais ameaçada. Enfatizou também que os cristãos devem assumir o cuidado com a “casa comum”, inspirados nos ensinamentos Evangélicos para não correrem o risco de se tornarem meros ambientalistas.

Na oportunidade, também foi apresentado o trabalho que a Diocese de Palmeira dos Índios está desenvolvendo, através da Cáritas e em parceria com a Ascadel, junto aos catadores/as de resíduos sólidos de Delmiro Gouveia: a implantação da fábrica de vassouras de garrafa pet e apoio à coleta seletiva. Cinco mulheres catadoras durante o dia trabalham no lixão e à noite fazem o trabalho de reeducação da população ensinando como separar o lixo em casa e coletando o material reciclável, gerando renda para os/as catadores/as. A assessora da Cáritas Brasileira, Maria Mafra, ressaltou a necessidade da participação da sociedade na cobrança de políticas públicas que garantam a melhoria da qualidade de vida nas cidades. Cuidar do Planeta, do nosso bioma Caatinga, já tão devastado é cuidar da vida e das futuras gerações.

O evento contou com a participação do clero e de leigos de todas as paróquias, de agentes Cáritas, além de representantes do poder público local e de parlamentares.

Por Maria Aparecida Mafra – Assessora da Cáritas Brasileira NE2/CDPI

 

No related posts.