Com enfoque no Ano Santo da Misericórdia, representantes das organizações-membro e a equipe de Mística e Espiritualidade da Rede Cáritas Brasileira – Regional NE2 participaram da Oficina de Leitura Popular da Bíblia nos dias 22 e 23 de julho, na cidade de Garanhuns (PE).

O encontro foi conduzido pelos assessores Izaías Torquato, Irmã Adélia Carvalho e Rosicleide Trindade que integram a equipe do Centro de Estudos Bíblicos (Cebi) – Pernambuco. Na oportunidade, os participantes puderam conhecer a metodologia de leitura popular da Bíblia e fizeram exercícios e se envolveram em dinâmicas de grupo, a partir de passagens da própria Sagrada Escritura e da Bula O Rosto da Misericórdia, escrita pelo Papa Francisco, em função do Jubileu Extraordinário da Misericórdia.

Para a agente da Cáritas Diocesana de Palmeira dos Índios (AL), Bruna Fernandes, a oficina foi importante para perceber, com mais ênfase, a Palavra de Deus, a partir da perspectiva da solidariedade, na nossa história. “A Cáritas, com sua mística e espiritualidade próprias, propõe para seus/suas agentes um momento para aquecer o coração e o espírito, nas chamas da justiça libertadora, fomentando-os para a luta”, destacou.

Segundo a integrante da equipe de Mística e Espiritalidade do Regional, Bibiana Santana, esse momento formativo veio para enriquecer o trabalho desenvolvido, nos momentos celebrativos, no escritório da Cáritas NE2 e nas organizações-membros. Como coordenadora do Programa Infância, Adolescência e Juventudes, ela ainda enfatizou que, depois desse momento, a leitura da Bíblia vai ter o significado também de provocação. “Percebemos que, além de nos ajudar nos nossos momentos de mística internos, há outras possibilidades de ler, junto com o nosso público-alvo, a Palavra de Deus, como por exemplo, de forma lúdica, com o teatro. E essa leitura que nos foi apresentada nesse encontro, tanto nos incomoda, quanto tira da acomodação aqueles que estão nos espaços que atuamos”, disse.

A secretária da Cáritas Diocesana de Garanhuns, Avila Pontes, também salientou que é necessário fazer chegar a proposta de Deus aos mais desfavorecidos na forma de ação. “Nessa oficina, somos chamados a incorporar a Bíblia, a sermos Igreja para os nossos irmãos, dando testemunho, combatendo as injustiças, tentando agir mais e falar menos”, ponderou.

Como gesto concreto de solidariedade, foram doados pelos participantes alimentos e produtos de higiene pessoal feminino às recuperandas da Fazenda da Esperança feminina, de Garanhuns. Atualmente, cerca de 30 mulheres são atendidas no local, lutando contra as mais diversas dependências.

Por Wagner Cesario / Assessoria de Comunicação – Regional NE 2

 

No related posts.