As equipes do escritório da Cáritas Regional NE 2 e das organizações-membros da Paraíba estiveram, nos últimos dias 26 e 27, na Diocese de Patos, realizando a Caravana da Solidariedade no território paraibano. Lá foram apresentadas iniciativas desenvolvidas pela Ação Social Diocesana de Patos (ASDP), que integra a Rede Cáritas, no âmbito da convivência com o semiárido.

A implantação e uso das tecnologias sociais foram os destaques das visitas realizadas nas experiências em comunidades rurais dos municípios de São José do Sabugi e Cacimba da Areia. A partir do recolhimento da água em cisternas e barragens subterrâneas, é possível, plantar e criar animais que geram o sustento das próprias famílias e renda com a comercialização da produção excedente nas feiras das cidades.

Além disso, como é o caso do agricultor José Marcelino, a cisterna, instalada na propriedade da família, ajuda no beneficiamento de frutas que são transformadas em polpa para suco e doces, vendidos no comércio da região, e em compostos que adubam a horta. Para Marcelino, receber a Caravana da Solidariedade é motivo de satisfação. “É muito bom mostrar o que está dando certo, porque nós sabemos que isso vai chegar a agricultores de outras regiões e vai melhorar a vida deles. E quando chega incentivo aos agricultores, eles continuam nos sítios com suas famílias”, destacou.

Nesse sentido, os beneficiados destacaram que, para chegar à situação atual, considerada bem sucedida, a formação, promovida pela Ação Social Diocesana de Patos, foi essencial. Para o coordenador de projetos da ASDP, José de Arimatéia, com os intercâmbios entre os homens do campo, são estabelecidas trocas de ideias que vão aperfeiçoando as práticas. “Entendemos que esse processo vem fortalecendo, cada vez mais, as famílias no campo e garantindo-lhes a permanência com dignidade, mostrando que é possível a vida no semiárido”, avaliou.

A partir das visitas, a coordenadora do Programa de Convivência com Semiárido da Cáritas NE2, Flavianeide Silva, salientou que, para esse público, a melhoria de vida não está simplesmente na acumulação de bens. “Vimos que eles não estão interessados em ficar ricos. Não é uma visão capitalista. Eles só querem oferecer às gerações que vêm, filhos e netos, condições mais favoráveis”, disse.

Para o coordenador financeiro do Regional NE 2, Alexandro Oliveira, a experiência da Caravana foi muito importante para chegar ainda mais de perto das ações das organizações-membros. “Conseguimos perceber que a equipe da ASDP desenvolve um trabalho de relevância na região, junto aos mais necessitados, e, por isso, mantém relações de confiança com as comunidades, fazendo parte inclusive, em função da proximidade, do núcleo familiar”, considerou.

No roteiro das Caravanas

Nos meses de junho e julho, além das ações da Ação Social Diocesana de Patos, foram visitadas experiências no campo da Infância, Adolescência e Juventude, na cidade de Arapiraca, dentro do território da Cáritas Diocesana de Penedo, em Alagoas; no segmento Economia Solidária, apoiados pela Cáritas Diocesana de Pesqueira, em Pernambuco; e na temática Mulheres, a partir de iniciativas da Cáritas Diocesana de Caicó, no Rio Grande do Norte.

As sistematizações das ações, realizadas no território da Cáritas NE2, assim como de outros regionais, serão levados ao Inter-Nordeste, de 25 a 28 de agosto, em Salvador (BA) e, posteriormente, ao V Congresso Nacional da Cáritas Brasileira, programado entre os dias 09 e 13 de novembro, em Aparecida (SP). Na ocasião, serão celebrados os 60 anos da entidade, com a participação de representantes de todo país. O tema desse Jubileu é “Cáritas: pastoralidade e transformação social” e o lema é “60 anos de solidariedade libertadora”.

Por Wagner Cesario / Assessoria de Comunicação – Regional NE 2

 

No related posts.