Agentes presentes na Caravana Nacional da Cáritas Brasileira avaliaram as ações da entidade no quadriênio 2012-2015, na tarde do dia 28 de setembro. Os integrantes da Rede Cáritas fizeram um balanço das ações realizadas e dos resultados alcançados a partir das três prioridades definidas para o período, analisando também as dificuldades e desafios impostos ao trabalho. Para a atividade, foram formados três grupos com representação de todos os cinco inter-regionais da Cáritas, cada um deles dedicado à análise de uma das prioridades, a saber:

1)       Promoção e fortalecimento de iniciativas locais e territoriais de desenvolvimento solidário e sustentável. Foram avaliados itens como maior visibilidade e credibilidade para ação da Cáritas; ações voltadas para impactos dos grandes projetos e dos desastres ambientais; protagonismo de povos e comunidades tradicionais; fortalecimento da economia solidária; ampliação do trabalho na área socioambiental; Fundo Nacional de Solidariedade; projetos de cisternas.

2)        Defesa e promoção de direitos, mobilizações e controle social das políticas públicas. Nessa prioridade, discutiu-se uma maior participação em conselhos, campanhas e audiências públicas; a Política Nacional de Assistência Social; trabalhos pedagógicos relacionados às mudanças climáticas; atuação com migrantes e refugiados; regulamentação do marco regulatório das organizações da sociedade civil; fortalecimento do Programa Infância, Adolescência e Juventude (PIAJ).

3)       Organização e fortalecimento da Rede Cáritas. No que se refere a esse tópico, refletiu-se sobre a formação continuada dos agentes Cáritas; diversificação de fonte de recursos; contratação de profissionais de comunicação e mobilização de recursos; gestão compartilhada; adesão às redes sociais e uso de canais virtuais; maior envolvimento com Pastorais Sociais e o conjunto da Igreja; criação de novas entidades-membros; fortalecimento da mística e espiritualidade; projeto 10 Milhões de Estrelas; voluntariado.

Os três grupos também avaliaram a dinâmica de efetivação do sistema de Planejamento, Monitoramento, Avaliação e Sistematização (PMAS) e sua contribuição para a implementação do plano quadrienal em cada prioridade, além da própria capacidade de resposta do plano quadrienal aos desafios da realidade. A análise produzida será sistematizada na forma de um documento para ser apresentado no V Congresso Nacional da Cáritas, que será realizado de 9 a 13 de novembro no Santuário de Nossa Senhora Aparecida, no município de Aparecida (SP). As pessoas presentes usaram como base as avaliações geradas nas Caravanas Regionais realizadas este ano.

Pela manhã, os/as agentes Cáritas presentes na caravana refletiram sobre os acúmulos, desafios e estratégias da entidade em cada um dos 12 temas específicos do V Congresso Nacional: Povos e populações tradicionais na Amazônia; Migrações e refugiados; Infância, adolescência e juventudes; Mudanças climáticas e gestão de riscos; Mundo urbano; Gestão de resíduos (ênfase em catadores); Convivência com o Semiárido; Economia Solidária; Mulheres e equidade de gênero; Segurança Alimentar e Nutricional; Voluntariado; Formação na rede. No texto consolidado em cada um dos 12 grupos temáticos formados para o trabalho, foram integradas as contribuições dos cinco inter-regionais da Cáritas.

No dia 29, os três grupos formados para as atividades da tarde anterior voltaram a se reunir, desta vez para avaliar as referências estratégicas da Cáritas Brasileira. Assim, houve reflexão sobre a missão da Cáritas, seus princípios, a diretriz geral e as três prioridades institucionais citadas acima, momento em que foram recolhidas também propostas de alteração do conteúdo ou mesmo de uma reorganização dos propósitos e valores da entidade. Da mesma forma que no dia anterior, os grupos se utilizaram das sínteses elaboradas pelos inter-regionais a partir das discussões produzidas nas caravanas de preparação ao V Congresso Nacional.

Por Jeronimo Calorio e Luciano Gallas / Assessoria Nacional de Comunicação
Fotos: Jeronimo Calorio

No related posts.