Celebrar a caminhada e a disposição de seguir adiante, aprofundar as reflexões sobre a identidade da Cáritas Brasileira, no sentido da pastoralidade, e os desafios atuais. Com esse objetivo, o Fórum Cáritas de Alagoas reuniu, no sábado (1º), cerca de 35 pessoas, entre agentes, voluntários e representantes de movimentos sociais e empreendimentos da Economia Solidária das Cáritas Arquidiocesanas de Maceió e Diocesanas de Palmeira dos Índios e Penedo, que compõem o secretariado regional da Cáritas NE2. A atividade aconteceu no Pólo de Tecnologia Agroalimentar de Arapiraca, no Agreste alagoano.

Durante o fórum, painéis discutiram temas como: viver com alegria a solidariedade libertadora; viver a pastoralidade eclesial; celebrar e compromete-se com a solidariedade presente na vida do povo; e assumir a libertação das pessoas e da Mãe Terra.  

De acordo com José Matias Irmão, voluntário da Cáritas Diocesana de Penedo, o encontro teve como proposta oferecer um estudo mais detalhado sobre o tema “Pastoralidade e Transformação Social”, que norteará as discussões do V Congresso Nacional da Cáritas Brasileira, que acontecerá de 9 a 13 de novembro, em Aparecida/SP.

“Este é um momento celebrativo das ações da Rede Cáritas, sobretudo, no território de Alagoas, mas também de preparação e formação da delegação que irá ao congresso”, explicou.

Ainda segundo Matias, neste momento de tantas expectativas, dúvidas e incertezas, principalmente sobre o contexto político do país, o encontro permitiu refletir sobre as práticas da Cáritas frente aos desafios impostos, no cenário dos programas e projetos executados, e como a mística e a espiritualidade da organização perpassam esses desafios fazendo a diferença.

“Foi um momento de revigoramento. Devemos nos preparar ainda mais, contudo, não devemos desanimar. Jesus tem um projeto para todos nós e, se unirmos forças, vamos fazer um grande projeto coletivo de transformação social, que esse Brasil espera e precisa”, destacou Matias.

Fórum

O voluntário da Cáritas Aquidiocesana de Maceió, Ângelo Máximo, explica que o Fórum Cáritas de Alagoas é um espaço de articulação e fortalecimento das três organizações membros no estado alagoano. Esse grupo se reúne trimestralmente para planejar e executar ações em conjunto.

Para ele, fazer um estudo sobre o guia metodológico do congresso e aprofundar o tema da pastoralidade, reaviva o ânimo e a disposição para continuar o trabalho da Cáritas nas bases, junto aos mais necessitados.

Uma das responsáveis por conduzir as reflexões no grupo que discutiu o tema “Viver a Pastoralidade Eclesial”, a voluntária da Cáritas Diocesana de Palmeira dos Índios e coordenadora da Cáritas Paroquial São Sebastião, Rita de Assis Costa, afirma que, vivenciar a pastoralidade é ser fiel ao projeto de Jesus Cristo.

Para ela, a pastoralidade é viver uma espiritualidade enraizada nas práticas e no Evangelho de Cristo. “É preciso sair e ir em busca dos excluídos da sociedade, dos que foram deixados para atrás, dos que foram privados dos seus direitos”, complementou.

Destaques

Durante o fórum, os quatro grupos apresentaram à plenária uma série de destaques, que são resultados das reflexões baseadas no guia metodológico do V Congresso, e visam estimular à Rede Cáritas a viver a pastoralidade. Entre esses destaques estão: ser uma Igreja em saída, que vai ao encontro dos excluídos; trabalhar a valorização da missão da Cáritas; vivenciar a solidariedade na prática; ouvir e denunciar as situações de violações dos direitos, bem como propor alternativas diante de situações, a exemplo, de interesses econômicos que sobrepõem à vida.

Por Kilma Ferreira | Assessoria de Comunicação do Regional NE2 

No related posts.