Pelo fim da violência contra as mulheres. Nenhum direito a menos! Esse é mote da bandeira que a Cáritas Brasileira levou às ruas na última quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher. Em todo país, diversas organizações membros da Rede Cáritas se prepararam para protestar contra o feminicídio, as desigualdades e toda forma de violência contra as mulheres.

Como gesto concreto de luta, a Cáritas Brasileira aderiu à Greve Internacional das Mulheres, movimento organizado em vários países em prol dos direitos femininos. A proposta da paralização é para que as mulheres se ausentem das suas atividades do dia a dia, como as sociais, profissionais e serviços domésticos, a fim de ocupar as ruas e os espaços de manifestações nos territórios de atuação.

No Regional Nordeste 2, várias iniciativas foram realizadas nos quatro estados que compõem a Rede, com o objetivo de fortalecer essa mobilização social.

PERNAMBUCO

Recife |
Na capital pernambucana, local da sede do Regional Nordeste 2, as mulheres não trabalharam pela manhã, uma vez que a paralização também foi aderida por este Secretariado. No período da tarde, todos os agentes Cáritas se reuniram para uma roda de diálogos, a partir da reflexão sobre os diversos contextos sociais em que as mulheres estão inseridas. Após este momento, a equipe seguiu para participar de um ato público. A concentração foi no Parque 13 de Maio, no bairro da Boa Vista, seguindo em caminhada pela Avenida Conde da Boa Vista até chegar à Praça do Derby.

Caetés|
Na comunidade Quati, zona rural do município de Caetés, no Agreste Meridional de Pernambuco, a equipe do Secretariado Regional, lotada em Garanhuns, promoveu na manhã da última terça-feira (07), na Escola Municipal Antônio Zacarias, um momento dedicado às mulheres agricultoras, que foram contempladas pelo Programa Água Para Todos. Além da encenação teatral que abordou as conquistas dos direitos das mulheres, a ação contou com uma palestra sobre os impactos da Reforma Previdenciária. Além disso, foram oferecidos serviços na área de saúde. Por conta do horário, a oficina em Decoupage em Garrafas de Vidro foi adiada para o próximo dia 17 e será realizada no mesmo local. Após fazer uma breve contextualização sobre o dia 08 de março, a coordenadora regional do Programa de Convivência com o Semiárido (PCSA), Flavianeide Pereira, agradeceu a participação de cada mulher que participou da ação e destacou o compromisso com que cada uma tem com a luta. “O Dia Internacional da Mulher surgiu a partir do momento em que mulheres e homens perceberam que precisavam ir às ruas, para dizer a todos e todas que o público feminino tem tantos direitos quanto o masculino e que, ambos, são importantes na sociedade”, afirmou.

Pesqueira |
Também no Agreste pernambucano, a Cáritas Diocesana de Pesqueira, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) e o Centro de Apoio ao Pequeno Produtor Rural (Cedapp), realizaram, em Pesqueira (PE), atividades em alusão à Greve Internacional. Na ocasião, cerca de 60 mulheres participaram deste momento, que teve início com um debate no STR contra a nova reforma da Previdência. Também houve uma peça teatral com fantoches, narrando uma história de violência contra a mulher.

RIO GRANDE DO NORTE

Caicó|
A 2ª Marcha das Margaridas do Seridó foi realizada com o tema “Mulheres contra a Reforma da Previdência. Não a PEC 287”. A concentração do evento ocorreu no Sindicato de Trabalhadores/as Rurais de Caicó, no período da manhã. Agentes da Cáritas Diocesana de Caicó participaram da equipe de organização do evento, que reuniu mulheres de todos os municípios da região. A Cáritas também saiu às ruas em adesão à greve internacional.

Ipanguaçu|
A Cáritas Paroquial de Ipanguaçu, no Rio Grande do Norte, promoveu uma Roda de Diálogos, na última quarta-feira, à noite, na sede da Obra Infância, Adolescência e Juventude Missionária (IAJM), em Ipanguaçu (RN). Assistentes sociais, psicólogas e advogados discutiram sobre os impactos da reforma da Previdência.

Pureza|
Mulheres e homens também se reuniram, em Pureza (RN), para participar de um momento de espiritualidade em celebração ao Dia da Mulher. A atividade foi promovida pela Cáritas Paroquial de Pureza com apoio da Pastoral da Criança, foi realizada na capela São João Batista, na comunidade Nova Descoberta. O padre Sidney Firmino conduziu esse momento. Na ocasião, também houve um espaço para reflexão sobre o tema “Violência contra a mulher”. Na oportunidade, a psicóloga Maria Verônica Costa, fez um recorte detalhando alguns artigos da Lei Maria da Penha. Além de dinâmicas, sorteio de brindes e um lanche para encerrar as atividades. Segundo Maria de Fátima, voluntária na Cáritas Paroquial e uma das responsáveis pela coordenação do evento, a foram recebidas cerca de 50 pessoas. “Convidamos homens e mulheres de toda comunidade. É muito importante que todos estejam envolvidos nessa luta contra a violência”, diz.

ALAGOAS

Palmeira dos Índios |
Pela manhã, agentes da Cáritas Diocesana de Palmeira dos Índios, em Alagoas, realizaram uma mobilização na Praça da Independência, no centro da cidade. A ação teve o objetivo de lutar pela conscientização pelo protagonismo da mulher e pela busca da equidade, além da distribuição de lembranças. Na ocasião, foi realizada uma intervenção pelo Sindicato de Lojistas do Comércio de Bens e Serviços, a fim de abordar a campanha #NenhumDireitoAMenos, com cartazes e panfletos. No período da tarde, a Cáritas Diocesana de Palmeira dos Índios participou de outras comemorações pelo Dia Internacional da Mulher, que foram promovidas pelo Governo Municipal, a partir de trabalhos realizados por artesãos locais.

PARAÍBA

Patos |
A reivindicação por igualdade, direitos e contra a Reforma da Previdência motivaram a realização de uma caminhada pelas ruas da cidade de Patos. Além da Ação Social Diocesana de Patos (ASDP), instituições de ensino, igrejas, organizações da sociedade civil e representaçãoes do governo também participaram do evento.  De acordo com a integrante da ASDP, Genilda Carvalho, a realização da atividade marcou mais uma conquista, bem como a importância que o ato desempenhou diante da população patoense. “Estamos todos aqui reunidas em prol de mais igualdade e justiça. Esse ato é sem dúvidas de grande importância para a cidade”, falou Genilda.

Cajazeiras |
Uma caminhada foi organizada, no município de Cajazeiras, em parceria com a Secretaria Municipal das Mulheres. De acordo com a articuladora regional, Cibele Martins, o objetivo da mobilização foi reunir forças contra o sistema marchista que predomina atualmente. “O nosso grito é pela vida e pelo respeito”, concluiu.

 

Por Kilma Ferreira e Lidiane Santos | Assessoria de Comunicação do Regional NE2

No related posts.