A Cáritas Brasileira Regional Nordeste 2 realizou, entre os dias 09 e 11 de junho, no Convento Santo Antônio, em Lagoa Seca (PB), o Seminário Regional de Formação “Construindo a Sociedade do Bem Viver”. O evento teve como objetivo principal a formação de agentes multiplicadores/as sobre a temática nas bases em que cada Organização Membro possui atuação.

Em novembro do ano passado, durante o V Congresso Nacional da Cáritas Brasileira, realizado em Aparecida (SP), o termo “Bem Viver” foi integrado à Missão Institucional e também à primeira Orientação Estratégica que norteia o trabalho desse Organismo. Dessa forma, em fevereiro deste ano, durante o Planejamento Operacional Anual (POA), surgiu a necessidade de realizar a formação, a fim de que os agentes Cáritas pudessem ter uma maior apropriação do assunto.

A programação do evento contou com a realização de quatro mesas de diálogos. Durante os três dias de Seminário, os participantes puderam aprofundar o conhecimento sobre a temática do Bem Viver a partir de três referenciais: econômico, ambiental e social. Entre os pesquisadores, que foram convidados para facilitar os debates, estavam: professor Pedro Ribeiro (Movimento Nacional Fé e Política); as professoras Alzira Medeiros (CFES NE) e Carolina dos Anjos (UFPR); e o filósofo e teólogo, Ivo Poletto (Fórum de Mudanças Climáticas e Justiça Social).

De acordo com o professor Pedro Ribeiro, o Bem Viver está estreitamente ligado à força do povo. “Trata-se de um grito, por meio do qual cada um de nós está dizendo que quer um mundo diferente. Para que isso seja possível, precisamos construir novas relações entre homens e mulheres. A saída é formar novas consciências”, afirmou. A professora Carolina dos Anjos destaca que, nessa nova perspectiva, o indivíduo deixa de ser o sujeito, dando o lugar para a comunidade. “O Bem Viver precisa ser pensado a partir do território, sob a ótica comunitária e não pela via individual”, completou.

Para a agente da Cáritas Diocesana de Caicó, Fabiana Silva, apesar de se apresentar com uma nova nomenclatura, nesse caso o Bem Viver, a formação proporcionou um novo olhar para esse debate. “Embora a gente já venha discutindo esse conceito, esse assunto ainda não estava compreendido. Aqui, vimos que a discussão foi realizada de forma mais ampla. Na prática, quando a gente fala de uma sociedade, justa e fraterna já estamos falando da Sociedade do Bem Viver”, disse.

Além de um novo aprendizado, o agente da Cáritas Diocesana de Penedo, Matias Irmão, destaca o inquietamento para a adoção de novas posturas. “Este seminário me proporcionou uma visão concreta da temática. Essa nova compreensão não me assusta, mas também não me deixa otimista, porém me desafia a um novo jeito de viver, de me relacionar com as pessoas e com o meio ambiente”, concluiu.

Por Lidiane Santos | Assessoria de Comunicação do Regional NE2
Foto: Kilma Ferreira | Assessoria de Comunicação do Regional NE2

No related posts.